Campinas/SP - Quinta, 30 de junho de 2022 Agência de Notícias e Editora Gigo Notícias  
 
 
  home
  gigo notícias
  profissionais
  publicações
  clientes
  projetos
  entrevistas
  baú de notícias
  clippings
  galeria de fotos
  ensaios
  extra pauta
  cadastre-se !
  contato
Digite a expressão que deseja buscar
Cadastre-se e receba, por e-mail, as últimas do ClickNotícia.


Rua Alberto Belintani, 41
Whatsapp: (19) 98783-5187
CEP: 13087-680
Campinas-SP

 

CLIPPING: TONICO´S BOTECO

Correio Popular - Caderno C - Capa - Noca da Portela


Leia abaixo matéria na ínegra

O Tonico’s Boteco encerra hoje o projeto Ala de Compositores com show do sambista Noca da Portela a partir das 21h:30. O projeto trouxe para Campinas quatro sambistas que entraram para a história da música brasileira especialmente nas escolas de samba. Noca canta a partir das 21h30, acompanhado do grupo campineiro QCV (Quarteto de Cordas Vocais), o mesmo que tocou Com os outros artistas convidados do projeto, o QCV é formado por Alessandro Dias (Percussão), Adriano Dias (violão 7 cordas), Dudu (cavaquinho e voz), Edsin-ho (surdo) e Marcelo (pandeiro).

No show ele interpretará músicas como Gosto que me Enrosco e a Voz do Morro, sambas-enredo como Olhos da Noite, e alguns de seus maiores sucessos. É Preciso Muito Amor, entre elas.

Osvaldo Alves pereira, o Noca da Portela, é considerado um dos compositores mais versáteis, criativos e solicitados da música popular brasileira. Nascido em Leopoldina (MG), foi para o Rio ainda pequeno. Começou a tocar violão cedo, com o pai, que era professor do istrumento. Compôs sambas para diversos blocos, agremiações carnavalescas e escolas de samba antes de se ingressar na Portela, levado por Paulinho da Viola em 1967.

No mesmo ano lançou uma de suas músicas mais famosas, Portela Querida (com picolino e Colombo). Aí, segundo ele, virou profissional, depois de ter sido tipógrafo. feirante e várias outras coisas. Membro da ala dos compositores da Portela, venceu seis das 11 vezes em que concorreu ao concurso de samba-enredo.

Hoje, Noca faz samba para os muitos blocos que desfilam pelas ruas do Rio no carnaval. “Adoro, porque é música feita sem compromisso, com os amigos nos bares, gente que nem sempre vive de música, mas gosta de samba”, diz. “O bloco é curso primário para o sambista. Quem quer compor pode começara aí e já vi muita gente boa experimentar o gostinho de ver todo mundo cantando seu samba. A escola de samba é a universidade e os pagodes, a pós-graduação, para quem quiser aprender o samba”.

De sua obra musical em mais de 50 anos de carreira, cerca de 300 músicas foram gravadas por intérpretes como Clara Nunes, Beth Carvalho, Candeia, Jackson do Pandeiro, Neguinho da BeijaFlor, Elza Soares, Emilinha Borba, Martinho da Vila, Maria Bethânia, Nara Leão, Nelson GonçaIves, Emílio Santiago, Jamelão, Bezerra da Silva, além de grupos como MPB4, Fundo de Quintal, Ginga pura, Negritude e Júnior, Grupo Raça, entre outros.

Filho de militante do PCB ele herdou do pai a veia política. “Em 1964, com o golpe e, consequentemente com a ditadura, comecei a compor músicas de protesto e acabou virando minha marca”. Uma das mais conhecidas dessa época é Virada (dele e do filho Gilmar) gravada por Beth Carvalho em l978, cantando durante a campanha das Diretas já, em 1984. “Fiz a música para os trabalhadores brasileiros. Achei que eles eram muito sacrificados, resolvi denunciar isso”.

Na mesma época em conversa com Henfil num bar carioca, este sugeriu ao compositor que fizesse outro samba. Noca compôs o Não me Venhas com Indiretas, em parceria com Ratinho.

PROJETO

O Tonico’s Boteco antecipou o clima de carnaval em Campinas com o projeto Ala de Compositores no Boteco, promovendo shows com compositores consagrados das escolas de samba do Rio, durante os meses de janeiro e fevereiro. Além de Noca da Portela, participaram do projeto Niltinho Tristeza, Darcy da Mangueira e Roberto Serrão.

« voltar



   Gigo Notícias    Política de Privacidade