Campinas/SP - Terça, 5 de julho de 2022 Agência de Notícias e Editora Gigo Notícias  
 
 
  home
  gigo notícias
  profissionais
  publicações
  clientes
  projetos
  entrevistas
  baú de notícias
  clippings
  galeria de fotos
  ensaios
  extra pauta
  cadastre-se !
  contato
Digite a expressão que deseja buscar
Cadastre-se e receba, por e-mail, as últimas do ClickNotícia.


Rua Alberto Belintani, 41
Whatsapp: (19) 98783-5187
CEP: 13087-680
Campinas-SP

 

CLIPPING: BANDAG

Revista O Carreteiro - págs. 24 a 32 - Bandag Truck Service (BTS)


O conceito de oferecer num mesmo local vários tipos de serviço para o caminhão e prestar o melhor atendimento ao motorista, levou os fabricantes de pneus e seus distribuidores a criarem estruturas com ambientes limpos e agradáveis, com boa alimentação, chuveiros e tudo mais que os estradeiros precisam, além de profissionais qualificados para prestar uma assistência completa ao caminhão.

Os fabricantes de pneus têm grande interesse que seus produtos sejam comercializados em estabelecimentos onde os carreteiros não percam tempo, encontrem tudo que desejam, em termos de produtos e serviços e ainda saiam satisfeitos. Batizados de truck centers, estes locais se tornaram uma realidade no Brasil, com uma forte tendência de crescimento e cada marca tem seu padrão e exigências, para que estes centros de atendimento de motoristas de caminhão se tornem locais agradáveis e eficientes no atendimento aos profissionais.

Nos truck centers o carreteiro encontra quase tudo para o caminhão, em ambientes limpos, claros e com absoluta segurança, conforme garantem os empresários que estão se dedicando a esse tipo de negócio.

No caso da Bridgestone Firestone, o primeiro passo antes de montar um truck center é uma avaliação da região, do seu potencial de mercado, da frota, dos concorrentes etc. “A localização é muito importante e damos preferência que seja as margens de rodovias e local de fácil acesso para caminhões”, explica Pedro Marques, gerente de propaganda da companhia. Ele acrescenta que a Bridgestone Firestone tem 59 truck centers e destes 45 já estão padronizados de acordo com a política da empresa.

A Rede Manaus, no Rio de Janeiro, trabalha com os pneus Bridgestone Firestone e tem três truck centers funcionando desde 1997. Estão localizados na avenida Brasil, na entrada do Ceasa; outro no bairro do Realengo, e um terceiro na rodovia Rio-Bahia, na cidade de Campos. Segundo o diretor de varejo, Celso Bérgamo Gobbo, a empresa detectou que o perfil do carreteiro tendia para lojas que concentram um maior número de produtos e serviços para veículos pesados, em ambiente de alto padrão de qualidade visual, conforto interno, limpeza, organização, condições de pagamentos que atendam as necessidades do usuário e, sobretudo, alto nível técnico no atendimento.

O grande diferencial da Rede Manaus, explica Gobbo, está em superar as expectativas do cliente, sempre investindo em tecnologia dos equipamentos, treinamento dos funcionários e instalações adequadas, proporcionando o máximo de ofertas em produtos de ponta, atendendo o veículo no menor tempo possível.

Ele acredita que a tendência dos truck centers é que se tornem mega pontos de concentração de veículos, onde serão ofertados produtos e serviços, e o carreteiro terá toda a comodidade e infra-estrutura disponível para recebê-lo, inclusive se estiver com a familia. Gobbo destaca que a Rede Manaus tem por objetivo proporcionar o máximo de conforto para o cliente enquanto o veículo está sendo atendido.
“Já ficou para trás o tempo do cafezinho e da água gelada — que também temos. Nós colocamos á disposição dos clientes salas de banho, barbearia e corte de cabelo, oferecemos um almoço grátis (a cada dois pneus comprados) em um restaurante moderno cercado por TVs. Temos, também, um serviço de atendimento noturno para veículos que não podem parar durante o dia, através do qual o cliente deixa o veículo à noite e o apanha no dia seguinte, gerando um grande ganho de tempo, explica.

Para justificar o sucesso dos centros, o diretor de varejo da Rede Manausk lembra que em apenas um truck center já foram montados 1.800 pneus de carga num único mês, atendendo uma média de 25 a 40 veículos/dia. Na unidade do Ceasa funcionam nove boxes para montagem e dois para alinhamento, com 16 funcionários; no Realengo, cinco boxes para montagem, um para alinhamento e nove funcionários e no de Campos sete boxes para montagem, um boxe para alinhamento e 11 funcionários.

O primeiro truck center da Michelin no Brasil surgiu em 1981, no Paraná, e hoje, 22 anos depois, a empresa conta com 215 pontos de venda de pneu de carga exclusivos, e destes, mais de 150 têm disponíveis todos os serviços de um truck center, segundo a gerente de pós-venda, Maria Luiza Carvalho. Ela explica que um dos principais objetivos da empresa é profissionalizar a rede de revendedores, reduzindo cada vez mais o custo por quilômetro dos consumidores.

Entre os serviços prestados aos carreteiros, ela destaca o acompanhamento de frotas que permite a realização do Controle de Rendimento Quilométrico, uma importante forma de avaliação da Michelin sobre os seus pneus. Também faz o alinhamento e balanceamento, montagem e desmontagem, rodízio, ressulcagem e controle de pressão dos pneus. Para este ano, a empresa tem planos de inaugurar novos pontos de vendas em diversos pontos do País equipados para funcionarem como truck centers.

“Buscamos parceiros profissionais que estejam dispostos a investir na prestação de serviços aos clientes, e quanto à área para a instalação do truck center depende do potencial da região onde o revendedor está se instalando. A empresa também faz um levantamento analisando a frota da região, a participação da marca na região e o potencial de crescimento, explica a gerente de pós-venda.

No começo de março a Michelin inaugurou um truck center no Posto Relógio Amigão da Dutra, na Via Dutra, km 181,5, em Nova lguaçu/RJ — principal via de entrada e saída do Estado do Rio de Janeiro. É o primeiro da Michelin em funcionamento em um posto de combustível e localizado na rota por onde passam cerca de 83 mil carreteiros que transitam por dia no eixo Rio - São Paulo.

Maria Luiza esclarece que esse novo serviço faz parte da estratégia da Michelin do Brasil em aumentar sua participação no mercado do Rio de Janeiro. Realizado em parceria com a Shell e com a Rede Zacharias, o investimento possibilita o desenvolvimento de um novo canal de distribuição para a companhia.

A Pirelli, que conta com ampla rede de truck centers, dá prioridade a locais próximos dos clientes alvos e com total infra-estrutura, tanto para a venda de pneus novos e acessórios quanto para oferecer todo tipo de serviço para os usuários. “O objetivo é atender todas as necessidades dos usuários de pneus para caminhões e ônibus, além de disponibilizar o acesso do motorista a técnicos bem treinados e especializados, diz Douglas Dallemule, coordenador de marketing produtos.

Pedro Prósperi Neto, diretor comercial de varejo da Della Via Pneus, que trabalha com pneus da marca Pirelli, lembra que desde o início das atividades, em 1967, quando era Pneus Auto Lins, os carreteiros sempre foram os principais clientes da empresa. Por isso, em novembro de 1999, a decisão de instalar, com pioneirismo, um truck center, no Rio de Janeiro (Ceasa), oferecendo aos veículos pesados um atendimento de qualidade igual ao prestado aos veículos leves, em ambientes com espaços claros, organização e tecnologia compatível.

Depois foram inaugurados outros centros, em Barra Mansa/RJ, São José dos Campos, Sorocaba e Santos/SP. “São lojas que revolucionaram o mercado de serviços para caminhões, contando com áreas úteis de até 16 mil m2 e executando serviços de cambagem e cáster; recauchutagem de pneus; alinhamento de direção a laser; balanceamento de rodas; geometria de suspensão; embuchamento de eixo; óleo e freio”, diz Prósperi, para quem os principais atrativos dos truck centers Della Via estão na tecnologia de ponta à disposição dos caminhões, cada vez mais sofisticados, e que precisam de atendimento.

Outro grande distribuidor da marca Pirelli é a Rede Abouchar, que conta com dois truck centers na capital paulista; no Interior, em Sorocaba e Ourinhos/SP; Porto Alegre/RS; Joinville/SC; Curitiba, Ponta Grossa e Guarapuava/PR; Cariacica/ES; Feira de Santana/BA e Recife/PE. De acordo com Antônio Carlos Issa, gerente da área de produtos da Rede Abouchar, o objetivo dos truck centers além de pneus para o transporte é disponibilizar uma gama de serviços - que inclui desde direção, freio, suspensão - e produtos como lona, corda, etc. Isso tudo acompanhado de um atendimento que satisfaça o motorista de caminhão.

A Goodyear que tem uma rede de aproximadamente 50 truck centers espalhados pelo Brasil está incentivando seus revendedores a instalarem estruturas que proporcionem um melhor atendimento aos carreteiros, priorizando também a área de estacionamento para caminhões e carretas. “Sugerimos, também, aos distribuidores da marca que procurem locais de fácil acesso e de movimento, tais como rodovias e avenidas largas”, diz Guilherme Franco, gerente de serviços e frotas da Goodyear.

“A empresa tem um departamento, com arquiteto, exclusivamente para cuidar da parte visual dos distribuidores. Se for um terreno fazemos o projeto, no caso de prédio que será apenas reformado sugerimos as mudanças”, explica.

Segundo Franco, é importante para a empresa que os trucks centers tenham banheiros limpos, salas de espera com café, água, televisão e tudo mais que dê conforto ao motorista, além dos serviços e produtos. “Para receber a chancela de ‘truck center’ o revendedor tem de padronizar o atendimento e os serviços” conclui, observando que os truck centers que agregam reforma de pneus têm maior movimento de carreteiros.

Um dos grandes distribuidores da marca Goodyear é a DPaschoal, com 53 anos de existência e 180 lojas em seis Estados. “Há cerca de três meses a rede inaugurou os seus primeiros dois truck centers, um em Criciúma/SC e o outro em São José dos Campos/SP, na via Dutra - como resposta às exigências do mercado, que busca serviços profissionais com mais qualidade técnica”, destaca o gerente de comunicação da empresa, Fábio Basso. Outros dois centros estão para ser inaugurados em breve, em São Paulo e Rio de Janeiro.

Anderson Linhares Freire, gerente da unidade de São José dos Campos comemora o sucesso do truck center já nos três primeiros meses de funcionamento. “Estamos num ponto estratégico, em uma rodovia com um grande movimento de caminhões. O movimento está acima de nossas expectativas e procuramos atender os carreteiros da melhor maneira possível”, diz.

Segundo Basso, a breve experiência dos Centros de Serviços para Veículos Pesados comprova que, efetivamente, autônomos e frotistas preferem locais mais amplos, iluminados e seguros, onde possam ter uma assistência técnica com qualidade e garantia para o caminhão, além do conforto oferecido aos visitantes. Nunca falta água gelada, cafezinho, televisão, restaurante, amplo pátio de estacionamento e, enfim, a estrutura para que o carreteiro possa se sentir bem enquanto espera pela manutenção do caminhão. Ele cita que tem sido comum encontrar clientes de outras lojas que passam para uma visita.

Embora ainda não produzam pneus no País, a Hankook e a Continental também estão no mercado brasileiro. De acordo com Mário Fujita, diretor de vendas/marketing da Hankook, a marca atua há oito anos no Brasil e existe plano da empresa em montar uma fábrica no País, porém, é necessário primeiro consolidar a distribuição dos produtos.

Atualmente, a Hankook conta com nove pontos de distribuição em todo o território brasileiro e tem interesse em abrir novos distribuidores.

Já a Continental, que há cerca de dois anos atua no segmento de pneus de caminhões no Brasil, não tem projeto próprio para montar uma rede de truck centers, porém, através de uma parceria, já distribui seus produtos em três BTS (Bandag Truck Service), em Conchal/SP, Cuiabá/MT e Timóteo/MG. “Nós já temos uma parceria com a Bandag em países da Europa, África do Sul e outros locais, e agora estamos iniciando este processo no Brasil”, explica Jair Delgato, supervisor de vendas a frotas. A Bandag tem atualmente 34 BTS em operação, e deverá chegar aos 60 até novembro deste ano”, diz Renato Paolilo, gerente regional de vendas da empresa.

« voltar



   Gigo Notícias    Política de Privacidade