Campinas/SP - Segunda, 4 de julho de 2022 Agência de Notícias e Editora Gigo Notícias  
 
 
  home
  gigo notícias
  profissionais
  publicações
  clientes
  projetos
  entrevistas
  baú de notícias
  clippings
  galeria de fotos
  ensaios
  extra pauta
  cadastre-se !
  contato
Digite a expressão que deseja buscar
Cadastre-se e receba, por e-mail, as últimas do ClickNotícia.


Rua Alberto Belintani, 41
Whatsapp: (19) 98783-5187
CEP: 13087-680
Campinas-SP

 

MAIORIA DOS PETS NO BRASIL FORAM ADOTADOS OU PRESENTES  


O Colégio Albert Sabin, localizado na região Oeste de São Paulo, foi criado em 1994, realizando o sonho do mantenedor Gisvaldo de Godoi. Comprometida com a formação integral, é uma escola que assume uma prática sócio-construtivista, com o desenvolvimento de atividades pedagógicas que respeitam a trajetória infantil e as diferenças individuais. O espírito humanitário, talentoso e perseverante do Dr. Albert Sabin é o modelo inspirador das diretrizes de ensino propostas pelos fundadores do Colégio que leva o seu nome. O professor Carlos Walter Dorlass, que possui mais de 15 anos de experiência, é o atual diretor pedagógico. Atualmente possui cerca de 2.000 alunos. A relação entre a Instituição e a Comunicativa ACJ teve início este ano, com a produção de 4 edições anuais de um informativo institucional e com o trabalho de Assessoria de Imprensa.


»
Baú de Notícias
» Clipping

   


CAMPINAS/SP


Maioria dos pets brasileiros foram adotados ou presenteados, aponta pesquisa

Na nova edição do Radar Pet, a Comac traz um panorama do mercado pet durante a pandemia e as principais mudanças que ocorreram no segmento neste período. Adoções e laços afetivos mais fortes entre tutores e pets estão entre as principais tendências

São Paulo, setembro de 2021 – A principal porta de entrada dos animais de companhia nas famílias brasileiras é por meio da adoção ou como um presente, de acordo com a pesquisa Radar Pet 2021. O levantamento realizado pela Comissão de Animais de Companhia (COMAC) relevou que 84% dos gatos brasileiros foram adotados e 54% dos cães são frutos de adoção.

A adoção de felinos foi superior, principalmente na região Norte, confirmando a tendência indicada pelo levantamento anterior de que os gatos futuramente serão os pets predominantes no Brasil. Os animais adotados costumam estar na faixa etária mais jovem. Sobre o perfil de tutores que adotaram pets durante a pandemia, pessoas que moram sozinhas foram predominantes. A região Sul também apresenta maiores taxas de adoção. Mas entre os adotantes de gatos, casais sem filhos foram a maioria.

Além disso, 44% dos caninos chegaram aos tutores como um presente, enquanto entre os felinos esse percentual foi de 31%. Outro dado mostra que a compra de cães é muito mais comum do que a de gatos. Entre os cachorros, 41% foram adquiridos por meio de criador, loja ou pet shop. Já entre os gatos esse número é de 7%.

“A pandemia modificou muito a relação do tutor com o pet. O que percebemos é que as famílias adotaram mais, inclusive tendo um grande percentual de pessoas que adquiriram o primeiro pet durante a pandemia. Os animais de companhia são extremamente importantes para a saúde e bem-estar emocional das famílias durante esse período de estresse. E isso alavancou as adoções, que já era uma tendência forte, mas foi alavancada”, comenta Leonardo Brandão, coordenador da Comac.

Na contramão das altas de adoção, a pesquisa ainda estima que cerca de 10 milhões de animais de companhia foram abandonados durante a pandemia. Cerca de 40% dos respondentes afirmaram que conhecem alguém que abandonou um pet neste período. Estima-se que isso tenha ocorrido em razão da perda de poder aquisitivo de grande parte da população.

Ainda assim, um dos principais pontos relevados pela pesquisa da Comac é o aumento do número de pets nos lares brasileiros, crescimento que foi acelerado pela pandemia. Cerca de 30% dos pets do estudo foram adquiridos durante o período de isolamento social, com uma predominância maior de gatos entrando nos lares brasileiros. Outro dado interessante é que 23% dos tutores adquiriram seu primeiro pet durante a pandemia.

O percentual de tutores que enxergam os animais como filhos ou membros da família aumentou, mostrando que o período também foi relevante para fortalecer os laços entre aqueles que permaneceram com seus animais. Também diminuiu o percentual de pessoas que enxergam os animais apenas como um bicho de estimação.

Confira mais detalhes da pesquisa pelo link.

Sobre a Comac

A COMAC (Comissão de Animais de Companhia) foi criada em 2007 e trata dos interesses de um dos mais importantes e crescentes segmentos da indústria veterinária brasileira e mundial, o mercado de cães e gatos.

A instituição surgiu com a necessidade de cuidar do mercado de animais de companhia e, por meio da interação com os principais players desse mercado, a COMAC executa ações que estimulam o desenvolvimento do mercado pet brasileiro, principalmente das áreas ligadas à saúde animal.
 

 
Cadastro de Jornalista  
   
   
« voltar  


   Gigo Notícias    Política de Privacidade