Campinas/SP - Terça, 21 de agosto de 2018 Agência de Notícias e Editora Comunicativa Ltda.  
 
 
  home
  comunicativa
  profissionais
  publicações
  clientes
  projetos
  entrevistas
  baú de notícias
  clippings
  galeria de fotos
  ensaios
  extra pauta
  cadastre-se !
  contato
Digite a expressão que deseja buscar
Cadastre-se e receba, por e-mail, as últimas do ClickNotícia.


Rua Alberto Belintani, 41
Telefone: (19) 3256-4863
Fax: (19) 3256-9059
CEP: 13087-680
Campinas-SP

 

“QUANDO AS PERNAS FAZEM MISERÊ” ESTRÉIA EM CAMPINAS  


Montagem elaborada pelo diretor teatral Luís Carlos Nem, que realiza a obra em homenagem a Vicente Ferreira Pastinha, grande mestre da Capoeira Angola, que dedicou toda a vida na atitude de manter acesa a chama da autêntica capoeira. O espetáculo é resultado da pesquisa feita em parceria com os atores/capoeiristas Angoleiros de Campinas, integrantes do Grupo de Capoeira Sementes do Jogo de Angola, liderados pelo Mestre “Jogo de Dentro”, formado pelo Mestre João Pequeno, hoje com 87 anos, ainda em atividade em Salvador. Além de contar a história de vida do Mestre Pastinha, “Quando as Pernas Fazem Miserê” tem como proposta estética levar ao público a trajetória e a resistência de uma das expressões artísticas mais digna de respeito da cultura nacional.


»
Baú de Notícias
» Clipping

   



O palco do Espaço Lume foi escolhido para a estréia do espetáculo “Quando as Pernas Fazem Miserê”, montagem elaborada pelo diretor teatral Luís Carlos Nem, que realiza a obra em homenagem a Vicente Ferreira Pastinha, grande mestre da Capoeira Angola, que dedicou toda a vida na atitude de manter acesa a chama da autêntica capoeira. O espetáculo é resultado da pesquisa feita em parceria com os atores/capoeiristas Angoleiros de Campinas, integrantes do Grupo de Capoeira Sementes do Jogo de Angola, liderados pelo Mestre “Jogo de Dentro”, formado pelo Mestre João Pequeno, hoje com 87 anos, ainda em atividade em Salvador.

Além de contar a história de vida do Mestre Pastinha, “Quando as Pernas Fazem Miserê” tem como proposta estética levar ao público a trajetória e a resistência de uma das expressões artísticas mais digna de respeito da cultura nacional. O espetáculo estréia no dia 19 de agosto, sexta-feira, às 20h30, com apresentações seguidas no sábado (20) e domingo (21) da mesma semana, e sexta-feira (26), sábado (27) e domingo (28) da semana seguinte, no mesmo horário. Somente nos dias 30 de agosto, 1 e 2 de setembro é que o espetáculo será apresentado no Centro de Convivência Cultura de Campinas. A entrada é gratuita.

O ator Servílio de Holanda, convidado para fazer o papel de Mestre Pastinha, veio de João Pessoa na Paraíba, onde vive e trabalha como Grupo Piolim, o mesmo que montou o inesquecível e premiado espetáculo “Vau da Sarapalha” – uma adaptação do conto de Guimarães Rosa, sob a direção de Luíz Carlos Vasconcelos. Esse trabalho, considerado pela crítica como um dos mais belos da história do teatro brasileiro, viajou diversos países participando de festivais internacionais. Sarapalha não apenas revelou o talento de Servílio, como lhe rendeu o prêmio de melhor ator no Festival de Cádiz na Espanha com seu impressionante desempenho no personagem de cachorro.

A concepção do espetáculo é baseada na malícia do jogo e na dança da capoeira. Juntos, esses elementos contribuem para construção de uma cena poética perfeita. Um ”espetáculoroda”, que oscila entre o universo lúdico teatral, com os elementos que compõe o espetáculo, e uma roda de capoeira angola, onde o jogo e a relação entre os protagonistas torna-se vivo e autêntico a cada instante. O ritmo lento e cadenciado pelas batidas do ataque fazem da capoeira angola uma arte ainda mais bonita de se ver por ser jogada, praticamente, rente ao chão e bem mais devagar que a capoeira regional.

O espetáculo, com cerca de 1 hora de duração, utiliza elementos pouco convencionais. Mesmo o que é corriqueiro, quando posto em cena ganha um novo formato. O palco, em formato de arena, possui frentes distintas. Cada centímetro do espaço é utilizado pelos intérpretes. O chão parece ganhar vida a cada passagem. E o público é levado a entrar na arena, senão fisicamente, certamente toda a sua emoção. A utilização de recurso audiovisual é outro ingrediente do espetáculo. Imagens da Bahia, das ladeiras do Pelourinho, das Festas de Largo e de outros capoeiristas serão projetadas em um telão branco durante cada bloco enquanto os intérpretes estão em cena. “Quando as Pernas Fazem Miserê” tem na mistura de linguagens e na improvisação o alicerce que faz do espetáculo uma surpresa a cada encenação.

Ficha Técnica:
Espetáculo: Quando as Pernas Fazem Misere – Uma homenagem ao mestre Pastinha
Direção, Concepção e Pesquisa: Luís Carlos Nem
Ator Convidado: Servilio de Holanda
Participação Especial: Mestre Jogo de Dentro
Elenco: Brisa Vieira, Danny, Fábio Tomé, Hugo Burg e Renata Lima
Direção Musical: Plínio
Produção: Sylla Jonh Taves
Assistência de Direção: Daniela Amoroso
Roteiro: Fred Abreu e Luís Carlos Nem
Orientação Mimeses Corpórea: Renato Ferracini
Orientação Bonecos: Miguel Vellinho
Confecção de Bonecos: Renato Spinelli
Cenário: Daisy Caribe
Figurino: O grupo
Iluminação: Luís Carlos Nem

Serviços:
Dias 19, 20, 21, 26,27 e 28 de agosto, às 20h30min
Teatro Lume – Rua Carlos Diniz Leitão,150, Vila Santa Isabel – Barão Geraldo
Tel: (19) 3289 9869 / 3289 3135
Dias 30 de agosto, 01 e 02 de setembro, às 20h30
Centro de Convivência Cultural de Campinas – Praça Imprensa Fluminense, s/n, Cambuí
Tel: (19) 3232 5977
Campinas / SP
Entrada gratuita

Fontes:
Sylla Jonh Taves – Produtor
Tel: (19) 3788 5119
Luis Carlos Nem – Diretor
Tel: (19) 3289 4223
 


Outras fotos :


 
 
   
   
« voltar  


   Clicknotícia® by Comunicativa    Política de Privacidade Desenvolvimento: Webcompany®